Running through ancient paths…

Passavam poucos minutos das nove quando os Atletas Laranja se juntaram para mais uma aventura por caminhos incertos, desta vez em Condeixa-a-Nova, terra natal do escritor Fernando Namora.


Após a foto da praxe, que teve um brilho especial pela presença do “trailer” Carlos Sá (não foi montagem, não!), corremos até à praça, onde se reencontraram os habituais adeptos destas andanças. Entre sorrisos, apertos de mão, saudações desportivas e ao som ritmado de música intemporal, lá fomos aquecendo os músculos, preparando os relógios e dando os últimos retoques ao equipamento.
Os “trailers” mais audazes partiram para a aventura enquanto os “mini” aguardavam pela vez, entre comentários desencorajadores e outros optimistas, do tipo: “Nem sei se vou conseguir chegar ao fim…”; “No ano passado, demorei quase 45 minutos a fazer os últimos 5 kms!”; “Esta tem muitos estradões, por isso vais fazer melhor tempo do que eu.”.
A mini-aventura começou a ritmo rápido até que uma escadaria nos roubou a ambiência urbana e nos proporcionou uma viagem curta no tempo, em que cada passada, nas famosas ruínas de Conímbriga, nos transportava para um passado romano tão remoto e subitamente tão real. Logo regressamos ao presente quando entramos na paisagem serrana, através de um percurso sinuoso q.b., sem subidas intermináveis ou descidas vertiginosas, passando por miradouros naturais que permitiram desnudar o concelho e apreciar a beleza paisagística de um lugar, onde a cidade e o campo estão em perfeita sintonia. De vez em quando, a natureza ficava mais agreste e éramos surpreendidos por caminhos de pedra, sulcados e mais estreitos, mas logo o nosso olhar se desprendia do chão com as vozes animadoras das gentes das aldeias que, em jeito de incentivo, nos faziam crer que a meta era já ali (“Força! Só falta um bocadinho…”), embora ainda estivéssemos a meio da missão.
Ao km 11 fomos presenteados com uma abastada mesa de fruta variada, queijos da região, tostinhas, mel e água fresca, que nos fizeram esquecer momentaneamente o que faltava percorrer, ao saborearmos este “manjar dos corredores”. Com o estômago bem “compostinho”, reentramos na natureza agreste, onde, nas descidas e nas subidas, nos cruzamos com os caminheiros, cujas palavras calorosas e palmas alimentaram os ânimos, fazendo crer que já não faltava tanto assim. De repente, senti uma rajada de vento que pedia licença para passar e dizia “Bom dia!”… Era o Carlos Sá, o primeiríssimo do trail dos 38 kms, a saudar e a incentivar os “mini” com a simpatia que o caracteriza.
Tivemos direito a passadeira vermelha na chegada à meta na Praça da República! Já para não falar de um bolinho delicioso e suculento – a escarpiada –, típico da região, que nos soube a “pato”, mas repôs todas as calorias gastas até então! Depois, foi só abrir o saco para receber presentes: uma garrafa de vinho tinto, um frasquinho de compota caseira de abóbora ou de mel, um queijinho amanteigado e um azulejo/medalha da prova (há muito ansiado pelo atleta Fofoni!). E para quem pensava que não podiam haver mais surpresas, eis que surge uma barraquinha com cerveja à descrição para os mais sequiosos!
Desde os dorsais personalizados aos reabastecimentos, da marcação do percurso à simpatia das gentes da terra, foi um mini-trail para recordar para sempre como uma das experiências mais enriquecedoras na montanha. A equipa do NME esteve à altura do desafio, como já se esperava, e até tivemos uma atleta premiada – a Patrícia – que nem no pódio abandonou a cor laranja!

Texto: Sandra Freitas

sheer of joy in frozen conditions ….ask everybody

De frontal na mochila, três porquinhos rumam à Illa de Arousa, o NME preparava-se para a prova noturna do Galicia Máxica. Os atletas foram chegando ao destino, apesar do meu porquinho enganar-se constantemente no caminho. Tudo estava certo até ao momento em que Fran diz “llevan toda la ropa que tienen”, “Frannnn, TODA!!!!!!!!!”. “Si, toda.” Mineiros em sentido…
Hora de reunir atletas, uns saíram da pizaria rumo ao café, pan de millo, onde me serviram, à Carla e Cristina, umas sandes do tamanho do griso que se fazia sentir no exterior. Os últimos atletas entretanto chegaram e fecharam o círculo.
Chegou o momento de ganhar coragem, sair do café das sandes gigantes, vestir e preparar para a prova. Grande momento de criatividade, os “traileiros” tentavam de tudo para dissipar o frio…. saltos, skippings, socos, aconchegar corpos, palmas, cantar os parabéns enquanto se arranjava uma lista de aniversariantes…. até que….. o Fofoni se lembrou da sardinha do par de dedos. Experimentei, e confesso que resulta, a dor é tão grande que não se pensa em mais nada.
O cérebro gelou e nem percebi se foi contagem decrescente, tiro ou grito….. tardou, mas começamos a partir gelo. O frio foi desaparecendo à medida que fomos contemplando o esplendor da corrida noturna, com mais de 300 cores a refletir as luzes dos frontais mais o laranja aconchegante da lua. A ilha ofereceu-nos o cheiro da praia, as rochas, a areia, o passadiço, o som das ondas suaves, os barquinhos. Só dispensava as algas que me fizeram malhar.
A meta aguardava-nos com um abraço do Moutinho e um divino chocolate de aquecer a alma…. por meio minuto. A boa disposição foi aumentando à medida que íamos re-reagrupando e aglomerando os diferentes tesouros da volta à ilha.
Penso que foi uma prova bem organizada e diferente (pouco desnível, ilha, noite….. frio descomunal), mas fica um amargo por a noite ter escondido uma ilha que parece ter muito mais do que o pouco que vimos. O “sheer of joy” no título do texto, não aparece por acaso, penso que a boa disposição coletiva derreteu a sensação de “o que é que vim fazer para Espanha. Estava tão bem em casa. Quem teve a ideia de correr no polo norte?”. Ficam algumas lições, constipações e um anseio por mais sheeeeeeeeer of joy.

Texto: Tiago Costa

Interrupção dos treinos na E3

Nos próximos dias 10 e 12 de Janeiro não haverá treinos na E3 devido à montagem da pista indoor de atletismo.

No dia 12, quinta-feira, a partir das 21h será realizada a manutenção do rocódromo. Se quiseres vir apertar umas presas ou abrir uma nova via, aparece!

Canhão do Vale dos Poios

Saída matinal para um dia de Escalada no Canhão do Vale dos Poios. O dia estava perfeito para escalar, mais parecia dia 08/08 e não 08/01 pois no sector Micro Ondas não se podia sequer estar de t-shirt. A paisagem do Vale aliada ao céu limpo e ao elevado número de escaladores fez com que o dia se tornasse num excelente dia de escalada.

 

Aguarda-se por mais saídas para a rocha com esperança de que mais “povo” se junte “à festa”.

Entretanto vamos treinando pelo NME. Apareçam!

Vitor Baptista


O ano começou a correr…

1 de Janeiro marcou a primeira edição do Espinho Go For a Swim Trail Run. Terra, areia, relva, rocha,… tudo serviu para fugir ao asfalto! Esta primeira edição contou com a presença de atletas do Rio Largo que não deixaram passar esta oportunidade para juntar mais alguns quilómetros aos muitos que já levam nas pernas.

Para o ano, há mais!

Bom 2012!

 

Novidades para 2012

O acesso à Escola de Escalada de Espinho – E3 será exclusivo a sócios com a situação perante o clube devidamente regularizada. Apenas os associados cujo nome conste da listagem existente na recepção da Nave Polivalente de Espinho poderão entrar nas instalações.

Todas as primeiras quintas-feiras de cada mês, entre as 21h30 e as 22h30, poderão ser realizadas inscrições e actualizações de quotas na sede clube.

Todas as primeiras quintas-feiras de cada mês, entre as 21h30 e as 23h00, o acesso à E3 é aberto a todos os interessados em experimentar a prática de escalada desportiva.

O valor de quota anual (20,00€) poderá ser reavido pelo associado através da participação em competições, eventos desportivos ou outras situações aceites pela Direção do clube.

 

Inscrições e pagamento de quotas 2012

No próximo dia 05 de Janeiro, entre as 21h30 e as 23h00, na Sede do Clube na Nave Polivalente de Espinho, vai ser possível proceder à inscrição no clube e à actualização do pagamento de quotas de associados.

INFORMAÇÕES ÚTEIS

INSCRIÇÕES

Os interessados em inscrever-se no NME deverão trazer consigo os seguintes elementos:

– Ficha de inscrição preenchida (impresso disponível brevemente para dowload)

– Fotografia tipo passe

– Declaração que indique a inexistência de quaisquer contra-indicações para a prática da modalidade (disponível para download aqui)

– Cópia de Bilhete de Identidade ou Cartão de Cidadão

– Termo de responsabilidade assinado por Encarregado de Educação (apenas para menores de idade)

– Quota anual 2012 (20,00€)

– Taxa de filiação FPME (10,00€)

– Pagamento de Seguro Desportivo (valor variável em função da modalidade*)

* Para acesso à Escola de Escalada de Espinho é obrigatória a posse de Seguro Nível 3

* Para participação em actividades de trail running é obrigatória a posse de Seguro Nível 2

* Para participação em actividades de canyoning é obrigatória a posse de Seguro Nível 4

 

ACTUALIZAÇÃO DE QUOTAS

Os interessados em regularizar a situação perante o clube deverão trazer consigo os seguintes elementos:

– Ficha de inscrição preenchida para efeito de actualização de dados (impresso disponível brevemente para dowload)

– Declaração que indique a inexistência de quaisquer contra-indicações para a prática da modalidade (disponível para download aqui)

– Cópia de Bilhete de Identidade ou Cartão de Cidadão

– Termo de responsabilidade assinado por Encarregado de Educação (apenas para menores de idade)

– Quota anual 2012 (20,00€)

– Taxa de filiação FPME (10,00€)

– Pagamento de Seguro Desportivo (valor variável em função da modalidade*)

* Para acesso à Escola de Escalada de Espinho é obrigatória a posse de Seguro Nível 3

* Para participação em actividades de trail running é obrigatória a posse de Seguro Nível 2

* Para participação em actividades de canyoning é obrigatória a posse de Seguro Nível 4

 

 

Ultra Trail Amigos da Montanha 2011

Os preparativos e espírito de equipa iniciaram-se dias antes da prova
quando eu e Nélson Sousa decidimos que iríamos fazer a viagem para
Barcelos, juntos. Tudo foi cumprido como delineado com excepção da
soneira que nos avassalou.
Logo após o inicio da viagem começaram a chover telefonemas e
consequentes “picardias” entre o carro do Trail e os 2 carros do Ultra
Trail que rapidamente se uniram numa caravana em direcção a Barcelos.
Na terra do galo mais famoso que o próprio Raposo, deparamo-nos com
outro entrave adjacente ao já mencionado sono. Os horários de Barcelos
não nos permitiram ter acesso ao que pensávamos, indispensável café.

A ânsia pelo inicio da prova contrastava com a falta de incentivo por
trocar de indumentária. A dúvida entre aguentar uma brisa árctica
inicial, e ter que carregar o fardo de uma peça de roupa a mais,
subsistia na mente regelada e sem cafeína. O tiro de abertura demorava e
iamo-nos deliciando com a chama do convívio. O galo abriu as asas e logo
em seguida o Rei Fofoni deu um arranque levando os inconscientes: Tiago,
Patrícia e João.
A historia do Trail teve três frentes de sucesso, em três duplas.
Nelson e sua esposa Sandra, Carla e Fran e Patrícia e Tiago. Sandra teve
uma paragem nos treinos por gravidez, o que não ajuda neste regresso.
Mas, Nélson apesar de ter tido uma falha nos conhecimentos anatómicos,
foi um excelente auxilio e Sandra correspondeu com espírito de
sacrifício vencendo a distância e cãimbras mal assistidas. Carla e Fran,
desempenharam a dupla a que estamos habituados, fotos para postais,
reino da boa disposição e superação de qualquer obstáculo sem tréguas.
Desta vez depararam-se com um ….. atleta que os desviou da rota. O que
a Carla fez e disse não pode ser divulgado no blog com bastante pena
minha.

Patrícia, iniciante nestes terrenos e habituada a terrenos bem mais
lisos: pista e ginásio, fez-me deliciar com a sua companhia. Foi com
grande surpresa e imenso agrado que me deparei com uma atleta de Trail
de grande craveira. Deixo que o resto dos elogio venham parar ao blog em
reportagens futuras, porque o que poderia escrever podia ser apontado
como exagero jornalístico. Contudo, um quinto lugar sólido é um
excelente arranque e pronuncio. Em relação a mim, além de ter sido
difícil aturar-me nas viagens (quando ninguém falava comigo, tinha que
ligar para os atletas dos outros carros), fica o registo de ter abarcado
o baptismo de Patrícia. Existem rumores que a atleta puxou por mim a
prova toda, mas um bom mito urbano faz parte de um conjunto de capítulos
de sucesso.

Para finalizar, formamos uma roda de troca de histórias da prova com os
tão desejados cafés e a hidratação fundamental para o organismo de
qualquer atleta. Por falar em hidratação! Alguém consegue arranjar um
patrocínio da Super Bock? Com tanta publicidade, acho que merecemos.

Texto: Tiago Costa

Inquérito

Caro(a) Praticante,
Este inquérito por questionário faz parte de um estudo denominado de
Desportos de Natureza e Desenvolvimento Local”, inserido numa tese de
Doutoramento em Turismo, Lazer e Cultura – especialização em Lazer e
Desporto, desenvolvida por Ricardo José Espírito Santo de Melo, sob
orientação do Doutor Rui Adelino Machado Gomes, professor da FCDEF-UC.
O questionário destina-se aos praticantes, com mais de 18 anos de
idade, residentes em Portugal continental, que realizaram actividades
enquadradas no âmbito dos Desportos de Natureza (DN), no ano de 2010.
Salientamos a importância que este estudo possa ter no desenvolvimento
dos Desportos de Natureza em geral e da actividade/modalidade que
pratica em particular.
Este questionário é de realização online e estará disponível  aqui.

fuga de informação…

Da reunião de Direcção do clube decorrida ontem resultaram algumas alterações ao funcionamento do clube com entrada em vigor já a partir do próximo ano.

A principal alteração resulta no facto de agora ser possível ser sócio do clube a custo 0.

Como assim?

É simples. O valor de 20,00 € de quota anual constituirá um crédito que os associados poderão utilizar para pagar a sua inscrição em competições, participar em actividades em montanha, aceder a aulas de ioga,…, ou seja, o valor da quota anual é reavido pelo associado.

Mais novidades?

A partir do início do ano deixa de ser obrigatório o pagamento de qualquer suplemento de quota para o ingresso na E3 – Escola de Escalada de Espinho. Ou seja, já não há desculpa para não ir treinar!

Mais nada?

OK! Irão regressar as aulas de ioga às quintas-feiras, das 19h30 às 20h30.

E o seguro desportivo?

Mantém-se a obrigatoriedade dos atletas disporem de seguro desportivo que cubra as actividades praticadas. Para aceder à E3 – Escola de Escalada de Espinho é obrigatório possuir seguro desportivo que cubra a prática de escalada desportiva.

Como irão ser controlados os acessos à E3?

Apenas os associados com situação regularizada poderão aceder à E3. Para poderem entrar na Nave o seu nome deverá constar de uma listagem que estará disponível na recepção da Nave.

E quando é que vai ser possível realizar a inscrição no clube ou regularizar o pagamento de quotas?

Todas as primeiras quintas-feiras de cada mês, entre as 21h00 e as 22h00, estará presente na sede do clube um membro da Direcção que atenderá todos os interessados.

: )

 

Workshop sobre técnicas de auto resgate

Shit happens!

Se praticas escalada ou canyoning deves aproveitar esta oportunidade para aprenderes ou relembrar algumas técnicas básicas de auto resgate.

Dias 12 e 13 de Novembro

Serra de Valongo

Formador: Paulo Ferreira

Data limite para inscrições: 06.11.2011

Nº máximo de participantes: 10

Acesso gratuito aos sócios NME com situação regularizada.

Poderás realizar a tua inscrição através de resposta a este post.

Estamos de volta!

Back on track! A temporada invernal está aí à porta e mais um ano se avizinha. Já decidiste qual vai ser o teu Everest para o próximo ano? Que tal correr uma ultra maratona? Ou encadear aquela via que achas impossível?

Juntos iremos conseguir!