Arquivo da Categoria: escalada

We will be back!

6 de Outubro de 2011.  Estamos no top da via “Oeste” (300m, V) da Aguja Negra, nos Galayos, Serra de Gredos. Os antebraços acusam o tamanho da via e a névoa que se vai instalando à nossa volta lembra-nos a urgência em baixar para o refúgio.

Grande no Topo da Aguja Negra

Porém, momentaneamente, a névoa dissipa-se e permite-nos olhar em redor. A vista do Tórreon desde a Aguja Negra mostra-nos todo o seu esplendor e justifica a fama que esta agulha carrega. Uma seta de granito apontada aos céus. Uau!

“Temos de cá voltar!”

Vista do Tórreon desde a Aguja Negra

21 de Setembro de 2018. 18h30

Hora combinada para a saída de Espinho. A Eva e o Zé estão em pulgas. Apanhamos o Marco em casa e siga em direcção a Nogal del Barranco. O plano é simples: bivacar no parque de estacionamento, fazer a aproximação ao Tórreon passando pelo refúgio Victory, ascender o Tórreon pela via Direta Sur Clássica (140m, V/V+) e baixar novamente até Nogal del Barranco para pernoitar. Deste modo teríamos apenas de carregar o material necessário para a escalada sem necessidade de pernoitar na base da parede.

Chegamos a Nogal del Barranco e o parque de estacionamento está… cheio! Parece que não fomos os únicos a aproveitar o fim de semana solarengo para vir Galayar…

22 de Setembro de 2018

Let´s rock & roll!

Acordamos ainda o sol vinha a caminho. A temperatura estava óptima e a vontade de pôr as mãos na rocha era muita. Separado o material para as duas cordadas começamos a aproximação que, para quem tem de se preparar para as provas de trail que se avizinham, vinha mesmo a calhar.

Refúgio Victory

A temperatura elevada começava a fazer as primeiras vítimas. Neste mesmo dia estava a decorrer o Ultra Trail de Gredos com passagem pelos Galayos (o refúgio situava-se ao km 63 da prova de 80 km). Os primeiros atletas apareciam a pedir água ainda estando longe do refúgio. Mal sabiam eles que o único ponto de abastecimento de água era a fonte situada no trilho para Nogal del Barranco e que esta apenas deixava cair um fiozinho de água…

“Upa, upa!”

Avançamos em direcção ao Tórreon e, para acelerar a ascensão, decidimos que apenas formaríamos uma cordada. Eu seria o varredor de serviço (na última vinda aos Galayos tivemos de abandonar um entalador na via e uma cordada que estava agora a escalar na face norte do Tórreon tinha acabado de deixar um friend lá entalado…)

À sombra dos gigantes

Conseguimos dar relativamente bem com o início da via. Um pitão numa placa vertical denunciou a localização. A Eva ameaçou que se não a deixassem abrir este largo atirava-se dali abaixo. Lá teve de ser…

Eva no primeiro largo da via

Chegamos à primeira reunião desde a qual já se tinha uma vista bastante aérea da Aguja Negra. O Zé abriu o segundo largo mas teve de tirar senha para montar a reunião. O sono começou a atacar…

Vista do patamar da primeira reunião

 

Vista da Aguja Negra com escaladores no cume

O patamar da segunda reunião já era bastante cómodo e sombreado. Daqui já era possível ver o diedro do terceiro largo.

Zé a abrir o terceiro largo

 

Eva a arrancar para o terceiro largo

 

Eva e Marco no terceiro largo da via

O quarto largo é uma pequena travessia no topo do Tórreon cujas descrições de várias ascensões apresentam como sendo algo de muito exposto e aéreo. De duas, uma: ou o chamamento para uma cerveja no refúgio nos toldou os sentidos ou as descrições são um tanto um quanto exageradas.

Eu, num dos largos da via

A verdade é que acabamos os quatro encavalitados no topo do Tórreon. Uns, a comer sandes de panado, outros, em sessões fotográficas.

A foto de cume

 

Nada como uma sande de panado no topo do Tórreon
A selfie obrigatória

O sol já se tinha posto e o vento começava a soprar (o que para alguém que está montado num bloco de granito em calções e t-shirt não é assim tão agradável). A partir dali foi baixar até ao refúgio onde, já no escuro da noite, a ambicionada cerveja nos aguardava.

Going down?

Restava agora descer os 5 km com 900m de desnível até ao estacionamento. Prueba superada!

Rising of the moon @ Galayos

 

Croqui da via

Para mais informações sobre os Galayos consultem isto.

Apoio à competição desportiva

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE APOIO À COMPETIÇÃO DESPORTIVA PARA ATLETAS NME (versão final)

1.        Podem usufruir das condições do programa de apoio à competição desportiva os associados NME que à data da realização das provas se encontrem devidamente inscritos no NME e com o pagamento de quotas regularizado;

2.        O apoio à competição será prestado as atletas praticantes de escalada (dificuldade, bloco, velocidade) e trail running;

3.        Os atletas de competição deverão estar inscritos, através do NME, nas Federações / Associações consideradas como representativas das modalidades desportivas a nível nacional, de forma a pontuarem para os respectivos  Campeonatos / Taças Nacionais :

a)       Escalada (dificuldade, bloco, velocidade)

FPME – Federação Portuguesa de Montanhismo e Escalada

b)       Trail Running

ATRP – Associação Portuguesa de Trail Running

4.        O apoio prestado aos atletas e as condições de acesso ao mesmo são função dos resultados desportivos obtidos e da relevância da prova:

ESCALADA (DIFICULDADE, BLOCO, VELOCIDADE)

Provas integrantes do Calendário FPME

Apoio: Pagamento integral da inscrição na prova;

Condições de acesso: Primeiros três classificados (pódio), por escalão, por sexo;

Outras provas (nacionais e internacionais)

Apoio e Condições de acesso: a definir pela Direcção NME em função da prova em causa;

TRAIL RUNNING

Provas integrantes do Calendário ATRP

Apoio: Pagamento integral da inscrição na prova;

Condições de acesso: Primeiros cinco classificados (top 5), por escalão, por sexo, ou primeiros 20 classificados (top 20) da classificação geral;

Outras provas (nacionais e internacionais)

Apoio e Condições de acesso: a definir pela Direcção NME em função da prova em causa;

5.        Os atletas que beneficiem de apoio comprometem-se em todas as provas em que participem, durante a época desportiva correspondente, fazê-lo como sendo atletas pertencentes à equipa NME;

6.        Os apoios anteriormente descritos poderão ser revistos em qualquer momento pela Direcção do NME em função dos resultados obtidos e de eventuais apoios/patrocínios angariados;

 

Urban Climbing @ Espinho

No próximo dia 26 de Maio o NME irá organizar um urban climbing contest, em versão test drive, integrado num evento promovido pela Câmara Municipal de Espinho.

Serão identificados e marcados vários problemas de escalada na zona envolvente ao Parque João de Deus e Biblioteca Municipal.

A marcação dos problemas será realizada pela dupla Topas + Olga.

Haverá problemas com vários graus de dificuldade, para todas as idades. Entre os inscritos haverá o sorteio de t-shirts NME!

Mais informações brevemente!

Dias perfeitos

O NME participou na Xuntanza de Faro de Budiño 2018 no fim de semana passado. O clima foi o ideal quer nas emoções, quer na meteorologia. Pessoas perfeitas têm direito a um tempo perfeito. Sábado foi sem chuva em Budiño. A noite e a manhã pingadas de domingo levaram-nos a rumar a Monteferro para escalar à beira-mar. O encontro foi de confraternização e partilhas, com amigos antigos e novos. Planos para as próximas saídas não faltam. Parabéns à organização. Dias perfeitos.

 

 

Circuito FPME de Escalada de Bloco

O escalador Leonardo Silva, aluno da E3 – Escola de Escalada de Espinho, alcançou um magnífico 2º lugar (Infantis A Masculinos) na primeira prova de 2018 do Circuito FPME de escalada de bloco.

Nuno “Topas” Gonçalves sacou um 19º lugar (Séniores Masculinos).

Parabéns aos atletas e ao treinador ; )

 

https://www.facebook.com/raulpintodasilva/videos/1862614153773264/

Fotos e vídeo: Raúl Silva

Urban Climbing @ Braga

Numa organização da Associação Desportiva de Escaladores de Braga realizou-se no passado dia 24 de Fevereiro uma competição de escalada urbana.

O clube esteve representado nesta competição pela Eva Antunes, Nuno Gonçalves (Topas),  José Silva e pelo Sílvio Morgado.

De destacar o fantástico 6º lugar alcançado pela Eva.

You rock!

Início da Época de Bloco

Pois é está a chegar o tempo de apertar uns blocos e o NME tem andado pela serra à procuras deles!

Estes tendem a ser dificeis de encontrar, muitas vezes vemo-los no horizonte e quando nos aproximamos não passam de uma miragem.

Nesta busca pelo bloco “perfeito”, ou melhor, nesta busca de fuga da cidade e companhia de amigos na serra, lá encontramos algumas linhas para nos divertirmos na nossa Serra de eleição, a Serra da Freita.

Segue uma lista dos blocos abertos na Freita, por membros do NME e demais amigos:

“Batata Quente” – 6b – Silvio Morgado – Zé – Baptista
“7 Minutos” – 6a – Silvio Morgado – Devessas – Baptista
“Esquadrão Classe A” – 7a – Silvio Morgado – Devessas – Baptista
“Quadrado” – 6a – Baptista
“A.I.A.” – 6a – Baptista
“30º à Sombra” – 6a – Baptista
“Brisa de Verão” – 6b – Baptista
“Passeio de Verão” – 6b+ – Baptista
“Último Pegue” – 6c – Baptista (com 2 membros do CEM: Sérgio e Topas)
“Bacilo” – 7a – Baptista (com Sérgio do CEM)
“Leaf” – 6b – Baptista (com Filipe Sequeira)
“Leaf Reloaded” – 6b+ – Baptista (com Filipe Sequeira)

Projectos:

“3 Bois” – Baptista (com Filipe Sequeira)
“Batata Doce” – Baptista – Silvio – Zé
“Nevoeiro a 13º” – Baptista
“Cresce e Aparece” – Baptista

Algumas fotos para aliciar mais malta a se juntar nestes passeios!!

“Último Pegue” – foto por Sérgio Martins
Ultimo Pegue

“Bacilo” – foto por Sérgio Martins
Bacilo

“Esquadrão Classe A” – Foto por Silvio Morgado
Esquadrão Classe A

Bloco na Serra da Freita

Dia 3 Fevereiro, pelas 08h30 já subiamos a Serra, marcava no carro 3 graus, irra que frio!

Mas lá subimos para apertar o granito gelado, mas ao Sol!

Repetiu-se a via “Cabana d’Ossos” e a “Ancadouro”. Tentou-se a “Solaris”. Isto no sector Delta Solaris. Ainda neste sector abrimos a via “Batata Quente” (FA por Silvio Morgado) e ficou um projeto.

Seguimos para o Delta Idóia, isto depois de dar 2 de letra com o Topas, a Olga e o Filipe, que entretanto pelo Delta Solaris apareceram. No Delta Idóia tentou-se a “Toca da Raposa” e escalou-se a “Freita-Tech”.

Ficam algumas fotos:

batata quente + projectoFreita Techancadouromerujalmar de nuvens

NME na estrada a 13 de Maio

13 Maio, 7 pessoas e uma cadela fazem-se à estrada… não a pé, não para Fátima, mas para as Buracas do Casmilo.

Stª Maria da Feira, 09h00 seria a hora de saída, seria pois a malta adormeceu influenciada pelas minis da noite anterior e saímos pelas 10h00. 1h depois já o Silvio se agarrava à parede tentando compensar o tempo perdido.

O tempo aguentou-se quase perfeito, não fazendo muito calor mas dando ainda para escaldar as costas. Lá fomos escalando, passeando, conversando, brincando e acabamos como na noite anterior: a beber umas minis bem geladas antes da partida para casa.

Silvio Morgado - Foto: Vitor Baptista
Fernando – a faltar apenas um bocadinho para encadear a “Equinócio” 7b
Todos juntos após almoço. Foto: Silvio Morgado

 

Canhão do Vale dos Poios

Saída matinal para um dia de Escalada no Canhão do Vale dos Poios. O dia estava perfeito para escalar, mais parecia dia 08/08 e não 08/01 pois no sector Micro Ondas não se podia sequer estar de t-shirt. A paisagem do Vale aliada ao céu limpo e ao elevado número de escaladores fez com que o dia se tornasse num excelente dia de escalada.

 

Aguarda-se por mais saídas para a rocha com esperança de que mais “povo” se junte “à festa”.

Entretanto vamos treinando pelo NME. Apareçam!

Vitor Baptista


Workshop sobre técnicas de auto resgate

Shit happens!

Se praticas escalada ou canyoning deves aproveitar esta oportunidade para aprenderes ou relembrar algumas técnicas básicas de auto resgate.

Dias 12 e 13 de Novembro

Serra de Valongo

Formador: Paulo Ferreira

Data limite para inscrições: 06.11.2011

Nº máximo de participantes: 10

Acesso gratuito aos sócios NME com situação regularizada.

Poderás realizar a tua inscrição através de resposta a este post.