Todos os artigos de admin

Centro de Trail de Valongo

A véspera de feriado pareceu a altura ideal para dar um salto ao recém criado Centro de Trail de Valongo. A previsão meteorológica para a noite de quinta-feira prometia umas tréguas que se vieram a confirmar.  O trilho escolhido foi o Trilho da Santa Justa. “Ora vamos lá dar a voltinha do costume…” pensávamos nós.

Arrancamos do parque de estacionamento e as primeiras impressões foram boas. A sinalética era a suficiente e os reflectores funcionavam na perfeição. Passamos a Santa e começamos a descer. Rolar, rolar,… eh lá! Um corte à esquerda! Isto é novidade! Yupiii… siga até Couce!

Vamos então então à segunda subidita… Oi! Uma moutinhada! Yupiii… outra vez.

Começam a cair umas pingas. Falta 1 km para o carro! Siga!

O relógio marca 12,10 km. Bingo!

Parabéns ao Luís Pereira e a toda a equipa que preparou este Centro de Trail. Ficou o desejo de provar os outros trilhos. Não é fácil surpreender em Valongo mas ainda assim o Trilho de Santa Justa conseguiu fazê-lo. Tem algum desnível mas sem exagerar, estradões para acelerar, single tracks para desfrutar, moutinhadas para maldizer e um bar na meta.  É justo!

Centro de Trail de Valongo

GoingUp? @ Serra da Freita

A previsão meteorológica não era das melhores mas mesmo assim arriscamos uma ida à Freita. A recente limpeza e sinalização dos trilhos permitia que mesmo que a visibilidade fosse reduzida poderíamos circular pelo planalto sem grandes problemas.

Mas eis que São Pedro, o do marco geodésico, lá resolveu fazer um intervalo que nos permitiu fazer todo o percurso sem apanharmos gota de água.

Neve, só mesmo no topo da Serra de Montemuro, visível desde o Detrelo da Malhada.

Vimos bisontes com badalos e crias de dinossauros. Broas gigantes que, com o passar do tempo, petrificaram. Mica, feldespato e quartzo. Venha a próxima aventura!

Álbum completo

 

 

Circuito FPME de Escalada de Bloco

O escalador Leonardo Silva, aluno da E3 – Escola de Escalada de Espinho, alcançou um magnífico 2º lugar (Infantis A Masculinos) na primeira prova de 2018 do Circuito FPME de escalada de bloco.

Nuno “Topas” Gonçalves sacou um 19º lugar (Séniores Masculinos).

Parabéns aos atletas e ao treinador ; )

 

https://www.facebook.com/raulpintodasilva/videos/1862614153773264/

Fotos e vídeo: Raúl Silva

Ao encontro da neve e em fuga do Félix

Mais uma vez, o NME rumou em direcção à Freita, na expectativa de encontrar paisagens cobertas com mantos de neve. Para a convocatória, estavam alinhados 5 pseudo atletas, dos quais só 3 + uma compareceram ao chamamento. Isto de levantar pelas 6 horas da manhã para levar com o Félix nos costados não é para todos.

É nestes momentos que surgem as desculpas mais esfarrapadas, o nosso flaviense preferiu o conforto do sofá, mas acredita que o pão da Farrapa está à altura dos pasteis de Chaves. Quanto ao “Piscinas”, parece que agora quer dedicar-se ao triathlon, não me parece que seja o momento oportuno para tal dedicação, constou-me que anda um mar esquisito para tal prática. Boa sorte.

Quanto aos resistentes, (os que já esgotaram o cardápio de desculpas) o Hemodiálise como prometido foi varrendo a malta e apanhou-nos a mim e ao Zezão seguindo caminho cheios de sono.
Pela viagem, breve paragem na Farrapa para confirmar se o stock de Pão de Deus estava conforme.

Café da manhã tomado e apetrechos montados, lá iniciamos pelas 7h no Parque de Merendas do Merujal, seguimos sem rota definida, mas de imediato já estávamos encaixados no GR28, foi o nosso fio condutor para um passeio aprazível.


A serra estava divinal, com as cores de inverno a acentuarem uma carga pesada ao retrato, parecendo uma imagem da Irlanda como dizia o Hemodiálise. Os cursos de água, riachos, ribeiros e pequenos afluentes, transbordavam desalmados e fustigavam os nossos pés. Na passagem pelo Vidoeiro, não fomos brindados com a desejada neve, afinal isso é para meninos, a serra decidiu proporcionar-nos uma bela massagem de granizo… Parece que vinha afiada.


Pelos trilhos, quem se deleitava com estas intempéries era a “+ uma”, até fez um mergulho acrobático num charco só para nos provocar.
Neste playground de 2 horas, tivemos tempo de passar junto da Nascente do Rio Caima, na represa de Albergaria da Serra e no mítico Marco Geodésico de S. Pedro Velho.


Para fechar as hostilidades, não demos a nossa parte fraca e fomos fechar a volta no Cantinho da Farrapa com mistas de pão d´água e cerveja. Bem bom.


Bom resto de domingo e boa semana.

Fofoni

https://www.facebook.com/fofoni/videos/1905406626158798/

Neve. Give. Up!

Um ano depois de termos enterrado os pés na neve enquanto corríamos até ao marco geodésico de S. Pedro-o-Velho, vindos desde Chão de Ave, era tempo de repetir a dose. O passeio resultou em 17 km com direito a uma Moutinhada que não estava no programa inicial das festividades e a uma paragem obrigatória na Farrapa para o abastecimento final. Não houve neve. Houve pão de Deus por ser domingo.

GoingUp? @ Serra da Estrela

Já começaram a chegar as primeiras imagens da expedição invernal GoingUp? 2018!

Todos os jovens alpinistas fizeram cume e chegaram a casa sem mazelas. OK, quase todos…

Daniel a ajudar dois idosos na ascensão ao cume de Portugal continental
Depois de perder meio dedo do pé resultante de congelações também o Diogo conseguiu atingir a Torre
Sessão de treino de auto detenções em neve mas sem a parte da detenção
Yuuuupiiiiiiiiii……

 

 

 

 

Urban Climbing @ Braga

Numa organização da Associação Desportiva de Escaladores de Braga realizou-se no passado dia 24 de Fevereiro uma competição de escalada urbana.

O clube esteve representado nesta competição pela Eva Antunes, Nuno Gonçalves (Topas),  José Silva e pelo Sílvio Morgado.

De destacar o fantástico 6º lugar alcançado pela Eva.

You rock!

GoingUp?

É já no próximo domingo que arrancam as actividades GoingUp? deste ano.

As actividades GoingUp? têm por objectivo permitir que os mais pequenos possam passar tempo ao ar livre, preferencialmente em ambiente de montanha, e durante o qual poderão explorar, correr, escalar, sujar-se, estar com amigos… enfim, tudo aquilo que pretendemos que continuem a fazer quando tiverem mais idade.

Não obstante…

As actividades GoingUp? têm como resultado permitir que os mais velhos possam passar tempo ao ar livre, preferencialmente em ambiente de montanha, e durante o qual poderão explorar, correr, escalar, sujar-se, estar com amigos… enfim, tudo aquilo que fizeram quando tinham menos idade.

Je Sui Ta ou NME@STUT

Duas semanas depois da visita aos blocos de Assunçãobleau o NME voltou a Santo Tirso desta feita para participar nas várias distâncias constituintes do STUT – Santo Thyrso Ultra Trilhos.

Os trilhos revelaram-se bastante “rápidos” (comparando com a recente prova de Santa Iria) tendo sido possível passar em alguns lugares que conseguiram surpreender pela elevada beleza natural e patrimonial.

Como balanço poder-se-á afirmar que em Santo Tirso mais vale uma boa presa de pés do ficar com os pés presos.

Pagamentos de jóia, quota ou seguro

Os pagamentos ao clube deverão, preferencialmente, ser realizados por transferência bancária para a conta NME no Banco Popular:

PT50 0046 0115 0060 0350 2894 8

Após realizada a transferência deverás enviar o comprovativo para secretaria@montanha.org

Porém, a partir de agora poderás também efectuar pagamentos directamente a João Graça (presidente da Direcção) ou Geraldo Santos (tesoureiro). Após a recepção dos pagamentos receberás um e-mail a confirmar o recebimento dos mesmos.

Licença Federativa FPME 2018

A Federação Portuguesa de Montanhismo e Escalada (FPME) nasceu do desejo dos praticantes de actividades de montanha em verem-se representados por uma entidade que, de facto, procurasse a promoção e o desenvolvimento do montanhismo, da escalada e das várias modalidades desportivas que lhes estão associadas.

O Núcleo de Montanha de Espinho desde a primeira hora ousou aderir a este projecto que teve o mérito de agrupar clubes de todo o território nacional e, acima de tudo, reunir pessoas excepcionais que com meios bastante escassos vão mantendo viva a esperança de um dia o Estado Português  reconhecer que, no que concerne aos desportos de montanha, é a única Federação verdadeiramente útil ao país.

Ao requereres a emissão da tua Licença Federativa FPME estás a dar um voto de confiança a este projecto que é de todos e para todos. Queremos ter uma Federação que para além da Escalada de Competição tenha uma oferta formativa que vá de encontro às necessidades dos associados, que tenha uma palavra a dizer na discussão do acesso a espaços naturais condicionados, que promova a defesa do ambiente, que desenvolva as actividades de montanha e escalada adaptada, que promova o reequipamento de vias de escalada em rocha, que permita a obtenção de seguros desportivos em condições vantajosas,… , queremos ter uma Federação em que confiemos.

Ao fazeres a tua inscrição/renovação no clube dá também o teu apoio à FPME!

Licença Federativa FPME 2018 – 15,00€

Espinho, Assembleia Constituinte da FPME

 

Pagamento de quotas, licenças federativas e seguros

Ano Novo… Paga !

Quotas

Quanto mais cedo regularizares o pagamento mais cedo poderás usufruir do acesso às actividades, rocódromos e equipamentos do clube.

O valor da quota para 2018 é de 20,00€, sendo de 10,00€ para todos aqueles que tenham idade inferior ou igual a 18 anos à data do pagamento.

Licença Federativa FPME

O valor da Licença Federativa para o ano de 2018 é de 15,00€. O pagamento da licença federativa é obrigatório para todos aqueles que:

  • pretendam aceder aos seguros desportivos FPME e CAF;
  • pretendam participar e pontuar nas competições de escalada e de bloco;
  • pretendam apoiar a FPME no desenvolvimento e promoção das actividades de montanha e escalada;

+info

Licença Federativa ATRP

O valor da Licença Federativa ATRP para o ano de 2018 é de 10,00€. O pagamento da licença federativa é obrigatório para todos aqueles que:

  • pretendam aceder ao seguro desportivo ATRP;
  • pretendam participar e pontuar nas competições de trail running ATRP;
  • pretendam apoiar a ATRP no desenvolvimento e promoção do trail running;

+ info

Seguros

Para acesso e utilização aos rocódromos NME é obrigatória a posse de Seguro de Acidentes Pessoais com cobertura da prática de escalada desportiva.

Para participação nas actividades organizadas pelo NME é obrigatória a posse de Seguro de Acidentes Pessoais que cubra as actividades praticadas.

1. FPME

Toda a informação disponível aqui

2. CAF

Toda a informação disponível aqui

3. LIBERTY E3

Para todos aqueles que apenas pretendam ter aulas de escalada na E3 o NME contratualizou com a LIBERTY um Seguro Desportivo com as seguintes características:

4. ATRP

Seguro desportivo destinado aos praticantes de trail running.

+ info

5. OUTROS SEGUROS

Existem no mercado outros seguros de Acidentes Pessoais destinados a praticantes de escalada, canyoning, alpinismo, …

Importa notar que alguns desses seguros não cumprem os requisitos legais para serem considerados seguros desportivos, nomeadamente devido ao facto dos capitais envolvidos serem bastante inferiores aos regulamentados por lei. Como tal, não são comparáveis aos seguros anteriormente apresentados.

Não obstante, poderão ser uma alternativa para aqueles que, não sendo federados, pretendam ter acesso a um seguro de baixo custo.

 

Como pagar?

Todos os pagamentos deverão, preferencialmente, ser realizados por transferência bancária para a conta:

PT50 0046 0115 0060 0350 2894 8

O comprovativo de pagamento deverá ser remetido para secretaria@montanha.org juntamente com a identificação do sócio e todos os documentos necessários no caso de se pretender activação de seguro.

Após a verificação de que tudo está OK receberás um e-mail a confirmar o recebimento e activação do seguro.

Regresso às aulas

As aulas de escalada regressam no próximo dia 03 de Janeiro!

Horário

Sub 18 – Segundas e quartas-feiras das 18h30 às 20h00

Adultos – Segundas e quartas-feiras das 20h30 às 22h00

Condições de acesso:

  • Acesso exclusivo a sócios do clube com situação regularizada,
  • Os escaladores deverão ser possuidores de Seguro Desportivo que cubra a prática de escalada desportiva,
  • Pagamento de 20,00€/mês/aluno (desconto para os familiares directos).

Responsável:

Nuno Gonçalves (Prof. de Ed. Fisica e Monitor Credenciado).

Há dúvidas?

Quero desesperadamente inscrever-me no Núcleo de Montanha de Espinho. O que tenho de fazer?

a) Imprimir, preencher e digitalizar a Ficha de inscrição;

b) Anexar cópia digitalizada do cartão de cidadão;

c) Anexar foto digital tipo passe;

d) Anexar comprovativo de pagamento do valor da jóia (10,00€) acrescido do valor da quota anual (20,00€ adultos; 10,00€ sub 18 à data da inscrição) preferencialmente através de transferência bancária para a conta:

PT50 0046 0115 0060 0350 2894 8

e) Enviar todos estes documentos digitalizados para secretaria@montanha.org;

f) Receber confirmação da inscrição por e-mail;

Já está!

 

O que preciso fazer para ter acesso aos rocódromos do Núcleo de Montanha de Espinho?

a) Inscrição e pagamento de quotas regularizados;

b) Seguro FPME nível 3 ou superior (ou outro seguro que cubra a prática de escalada desportiva);

 

Quais os horários de acesso ao rocódromos do Núcleo de Montanha de Espinho?

a) De segunda a quinta-feira, das 18:30 às 23:00;

b) Sábados, das 09:30 às 13:00;

Nota: O acesso ao rocódromo indoor depende da abertura da Nave Polivalente. O rocódromo outdoor está aberto 24/24.